03/11/2021 às 10h38min - Atualizada em 03/11/2021 às 10h38min

BIOGRAFIA DA MÉDICA LEGISTA MARIA TEREZA PACHECO

Por Redação - Ernande Bezerra de Moura



Maria Tereza de Medeiros Pacheco, nasceu no município de Atalaia, estado de Alagoas, no dia 02 de setembro de 1928, filha de José Pacheco Filho e dona Carolina de Medeiros Pacheco.

Ainda criança veio morar com os pais no município de São Miguel dos, onde estudou às primeiras Letras no Educandário Rosal Infantil de dona Nunila Machado e concluiu o curso secundário, científico e Pedagógico na cidade de Penedo e Maceió.

Tereza Pacheco era descendente do Coronel  Francisco Manoel dos Santos Pacheco  e irmã do Coronel Jorge Pacheco e do Dr. Rubens Pacheco.

Seu pai era dono do Engenho Brejo, localizado próxima a Usina Cansanção de Sinimbu, nesta localidade ela viveu toda a sua adolescência.

No dia 18 de dezembro de 1947, aos 19 anos de idade, ela saiu de Maceió no vapor "Itaimbé" com destino ao estado da Bahia para estudar medicina.

Ao chegar em Salvador, matriculou-se na Faculdade de Medicina da Bahia. 

Como estudante de medicina, foi Aspirante, Interna por Concurso e Assistente Voluntária da Maternidade Climério de Oliveira, Interna da Maternidade "Nita Costa" do serviço de Ginecologia do Prof. Carlos Aristides Maltez e Interna - Residente do Hospital Aristides Maltez.

No dia 15 de dezembro de 1953, ela realiza o sonho da família, Tereza é diplomada como médica. E em 1970, Conclui o doutorado em Medicina Legal pela Universidade de Paris l - Pantheon - Sorbonne, sendo a primeira mulher do Brasil a dirigir um IML - Instituto de Medicina Legal da Bahia e a primeira docente mulher do mundo em Disciplina Medicina Legal 

Anos depois, Tereza ganha notoriedade na mídia nacional ao contribuir com as investigações da morte do empresário Paulo Cesar Farias (PC FARIAS), ocorrida em   1996, em Maceió.

Está baluarte da medicina nacional, faleceu no dia 12 de maio de 2010.

Seu corpo foi velado no Salão Nobre da Faculdade Medicina da Bahia. E no dia seguinte, foi cremado no Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador.

Segundo os seus familiares, Tereza era apaixonada por Alagoas e amava de coração à cidade de São Miguel dos Campos, considerada por ela, como a sua terra natal.

Seu desejo era de quando morresse suas cinzas fossem removidas da Bahia para São Miguel dos Campos e depois jogadas sobre Jequiá da Praia

(Depoimento dado pelo seu sobrinho, Dr. José Antônio Pacheco). 


( Texto Escrito Por Ernande Bezerra de Moura )


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »