27/11/2021 às 10h18min - Atualizada em 27/11/2021 às 10h18min

20 DE NOVEMBRO! ANIVERSÁRIO DOS 211 ANOS DO NASCIMENTO DE JOÃO LINS VIEIRA CANSANÇÃO DE SINIMBU. "O MAIOR ESTADISTA DO IMPÉRIO".

Por Redação - Ernande Bezerra de Moura

João Lins Vieira Cansanção de Sinimbu nasceu no dia 20 de novembro de 1810, na casa grande do Engenho Sinimbu, no município de São Miguel dos Campos, estado de Alagoas. Hoje no local, funciona o complexo industrial da Usina Caeté.

João Lins era filho do Capitão de Ordenança Manuel Vieira Dantas e da Heroína Alagoana, Ana Maria José Lins.

Graduou-se em direito na Academia Jurídica de Olinda em Pernambuco e logo após seguiu para Europa, afim de aperfeiçoar os seus estudos.

Em Paris, cursou aulas de Baruel e Orfila e durante um ano, estudou Medicina Legal e Química.

Em 1835, ele segue para a Alemanha e lá ele obtém o título de Doutorado pela Universidade de IENA "Fundada em 1558", no Grão - Educador de Sexe - Weimar (Alemanha).

Nas suas andanças pela Europa, ele conhece a inglesa Valéria Touner Vogler com quem se casa, em 1846.

Desse laço matrimonial nasceram quatro filhos: Clélia, Maria Valéria, Ignácio e João.

Quando retornou ao Brasil foi nomeado Presidente da Província de Alagoas com apenas trinta anos de idade. Assumindo o cargo em duas ocasiões, de 30 de outubro a 03 de novembro de 1838 e de 10 de Janeiro a 18 de julho de 1840.

Ele também assumiu a Província de Sergipe, de 16 de julho a 01 de julho de 1841, a Província do Rio Grande do Sul, de 02 de dezembro de 1852 a 01 de julho de 1855 e a Província da Bahia, de 1856 a 1858.

Depois foi Ministro  Residente junto ao governo da República Oriental do Uruguai, em Montevidéu em 1843. Ministro dos Estrangeiros do décimo quinto gabinete, presidido pelo Barão de Uruguaiana em 1859 e ocupou ainda o Ministério da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.

Aos quarenta e dois anos de idade, Cansanção de Sinimbu aposenta-se como Juiz de Direito, com honras de Desembargador. Foi Deputado Geral de Alagoas, Diplomata, Senador e Ministro da Justiça.

Ele também foi Conselheiro da Coroa Grande do Império, Comendador da Ordem de Cristo e da Rosa do Brasil, Grã - Cruz da Legião de Honra da França, da Coroa de Ferro da Áustria e da Ordem dos Guelfos (Partidário do papa e representavam a burguesia urbana, nas lutas políticas dos séculos XII a XIX, na Itália), e do Hano (ver estado Alemão, anexado à Prússia em 1866).

Em 18 de maio de 1888, a princesa regente, Isabel conferia-lhe o título de  Visconde de Sinimbu ao ilustre miguelense, primeiro e único Barão e Visconde com grandeza do Brasil-Império.

Visconde de Sinimbu também foi um dos incorporadores ao lado do sobrinho e também barão com grandeza, Manuel Duarte Ferreira Ferro, filho do "Barão de Jequiá" para a fundação da Usina Cansanção de Sinimbu. fato que aconteceu no dia 13 de abril de 1893. Vindo daí o nome da indústria.

Depois que o Brasil passou a condição de república, o presidente Marechal Deodoro da Fonseca lhe encontrou pobre e octogenário, oferecendo-lhe uma pensão que foi por ele recusada, por jugar uma ofensa à sua pobreza honrada. Recusa que o governo não aceitou, mantendo a pensão até a sua morte.

Em 21 de dezembro de 1906, morria aos noventa e seis anos de idade aquele homem que foi o maior Estadista da Monarquia Brasileira e da  história de Alagoas.

Seu nome está imortalizado na sua terra  natal, onde existe uma rua e uma escola que prestam o seu nome. Também foram  construídas duas praças em sua homenagem, uma na cidade de Maceió e outra no estado do Rio de Janeiro. Mas a maior homenagem que ele recebe é no estado do Rio Grande do Sul, onde existe uma cidade batizada com o seu nome.

Seus restos mortais estão sepultados no Cemitério São João Batista, no estado do Rio de Janeiro.

(Texto: Ernande Bezerra de Moura )

* Membro Efetivo da Academia de Letras, Artes e Pesquisa de Alagoas - ALAPA.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »