05/03/2022 às 14h00min - Atualizada em 05/03/2022 às 14h00min

População de baixa renda tem direito a auxílio para colocar em dia contas de água, luz ou gás

Mais de 100 chefes de família estão contempladas na primeira etapa do Conta em Dia

Por Redação - Marcos André Aguiar / Secom Maceió
Recurso do Conta em Dia também garante mais segurança alimentar às famílias. Foto: Itawi Albuquerque / Secom Maceió

“A coisa mais importante na minha vida é a fé. Eu já passei por momentos muito difíceis e consegui me erguer. A vida não está fácil, mas eu tenho fé que ela vai melhorar, pois já foi muito pior e estamos virando a página. Eu voltei a estudar e agora, com esse auxílio nós também podemos comprar o gás”, diz a mãe de família.

Histórias como a de Isabelle colocam em xeque o papel da política de Assistência Social: garantir proteção socioeconômica para as famílias que vivem em situação de pobreza ou extrema pobreza. Na capital alagoana, o prefeito JHC está enfrentando estes desafios com programas que propõem diminuir a disparidade entre as classes sociais.

O secretário municipal de Assistência Social, Carlos Jorge, conta que o programa é mais um esforço da Prefeitura para garantir a inclusão social das famílias, sobretudo neste momento de crise econômica.

“É uma das formas da Assistência Social estar presente na vida de cada família. Trabalhando a proteção social e a garantia de direitos dos que mais precisam. Ficamos muito felizes em ver essas famílias sendo beneficiadas com esse programa tão estratégico”, destacou Carlos Jorge.

Para ter acesso ao benefício é necessário ter renda per capita mensal familiar igual ou inferior a um quarto do salário-mínimo. Além disso, é preciso estar inserido no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico) e comprovar o domicílio em Maceió. O cadastro é feito na sede do Centro de Atendimento Socioassistencial (Casa), localizado próximo da Praça da Faculdade, no bairro do Prado, das 8h às 13h.

Os contemplados devem apresentar todo o mês, os comprovantes de pagamento de água ou luz. E, a cada três meses apresentar o recibo da compra do gás de cozinha.

Isabellle não teve dificuldade para garantir o direito. Esta foi mais uma conquista na sua vida, que fará parte das diversas outras. Ela guarda com cuidado o dinheiro do auxílio e espera nunca mais ter que cozinhar em fogo à lenha.  “Minhas filhas merecem uma vida melhor e agora vejo que isso está se tornando uma realidade”, conta esperançosa a jovem mãe.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »