06/04/2022 às 12h52min - Atualizada em 06/04/2022 às 12h52min

Após denúncia OAB se reúne com representantes da Mineradora Vale Verde

Moradores de Craíbas denunciam que a extração de minérios realizada pela Mineradora tem provocado rachaduras em imóveis

Por Redação
Comissão da OAB se reúne com representantes da Mineradora Vale Verde - Foto: Ascom OAB/AL

A Comissão de Meio Ambiente e Urbanística da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL) se reuniu, nesta terça-feira (5), com integrantes da Mineradora Vale Verde para buscar mais informações sobre como a atuação da empresa impacta a região.

Os moradores de Craíbas denunciam que a extração de minérios realizada pela Mineradora tem provocado rachaduras em imóveis. 

“Nós recebemos os representantes da Mineradora no sentido de ofertar o contraditório e a ampla defesa, que são os princípios norteadores de nossa Constituição Federal e consequentemente de nosso Estado Democrático de Direito. Nós ouvimos os relatos dos moradores e achamos pertinente, além de oficiar os entes competentes, ouvir o relato da empresa”, explica Gilvan Albuquerque, presidente da Comissão de Meio Ambiente e Urbanística.

De acordo com Gilvan, durante o encontro foram solicitados documentos que comprovem não apenas a autorização para funcionamento da mineradora, como também relatórios e laudos técnicos que mostrem que as exigências para a operação estão sendo cumpridas. Os membros da comissão classificaram o encontro como positivo e aguardam o envio das informações para decidir os próximos passos da atuação.

“Os representantes da mineradora se mostraram bastante solícitos aos requerimentos da comissão para envio de documentos que comprovem a existência de licença ambiental e o cumprimento das condicionantes, porque todas as licenças, quando emitidas, apresentam condicionantes que devem ser cumpridas. Aguardaremos o envio da documentação”, acrescentou o presidente Gilvan Albuquerque.

O gerente geral de operações da Mineradora Vale Verde, Tony Lima, informou que a empresa tem procurado atender não apenas a legislação local, mas requisitos de qualidade internacional. Segundo ele, a mineradora realiza auditorias regulares e utiliza três sismógrafos simultâneos para monitorar as vibrações provocadas pelas explosões dos blocos de minérios na região.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »