22/04/2022 às 08h21min - Atualizada em 22/04/2022 às 08h21min

Morre aos 81 anos, o Patrimônio Vivo de Alagoas, Nelson da Rabeca

Por Redação
Foto: Renata Baracho / Blog Vidas Anônimas

Faleceu na madrugada desta sexta-feira (22), o Patrimônio Vivo de Alagoas Nelson da Rabeca após passar por uma complicação clínica e precisar ser internado no Hospital Geral do Estado (HGE). Por meio de nota, o hospital informou que Nelson deu entrada com um quadro infeccioso, que agravou durante a madrugada. 

Nelson nasceu no município de Joaquim Gomes, mas adotou o município de Marechal Deodoro para estabelecer sua residência com a esposa,  Benedita da Silva, a Dona Benedita, que o acompanhava como vocalista. Ele tem nove filhos, alguns dos quais também músicos.

Sem ter frequentado escola, portanto, sem saber ler, e sem precedentes musicais na família, Nelson aprendeu a tocar rabeca sozinho, aos 54 anos de idade, ao ver um violino pela televisão. Nelson "apaixonou-se pelo instrumento e decidiu fazer o seu próprio".

Nelson da Rabeca trabalhou desde cedo no corte de cana-de-açucar, até que, aos 54 anos, construiu e aprendeu a tocar rabeca sozinho. 

Durante algum tempo, Nelson alternava sua atividade na lavoura com apresentações aos finais de semana na Praia do Francês, até ser descoberto pelo pesquisador musical paulista José Eduardo Gramani, que divulgou para o Brasil o nome de Nelson da Babeca e abriu espaço para a gravação do primeiro disco do rabequeiro alagoano em 1994.  

Com mais de seis mil rabecas construídas e quatro álbuns na bagagem, sendo o último lançado em 2018 com o músico suíço Thomas Rohrer, Nelson da Rabeca conta em seus shows e em seus discos com a participação da sua esposa, Dona Benedita, nos vocais.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »